GPR Inovadomus



No âmbito da colaboração do grupo Dryas Octopetala no projeto Inovadomus, uma equipa da Morph (grupo Dryas Octopetala) encontra-se de momento a realizar uma campanha de georradar na futura sede da associação, em Ílhavo.

No âmbito da sua participação no projecto Inovadomus/Ílhavo, em colaboração com os Depts. De Engenharia Civil e de Geociências da Universidade de Aveiro, a equipa de Geofísica da Morph encontra-se de momento a adquirir dados de georadar para produzir uma representação subterrânea de toda a área do edifício e seu entorno imediato.

A participação da Morph neste projecto extremamente ambicioso e de carácter experimental e demonstrativo, abrange três áreas técnicas: a caracterização histórica do edificado, a modelização digital 3d do edifício e a prospecção geofísica do solo e das paredes do edifício.

Está actualmente em curso a fase dos trabalhos relativa à produção de uma imagem detalhada das estruturas antrópicas e naturais enterradas na área do edifício e suas imediações. Esta fase dos trabalhos de terreno foi dividida em dois objectivos complementares:
- De modo a cartografar as estruturas existentes abaixo do chão no interior do edifício, está-se a aplicar uma antena de 800MHz e uma malha de aquisição fina de modo a obter uma representação detalhada dessas estruturas e infra-estruturas; e
- Para caracterização da estratificação preexistente e indagação da localização exacta de uma antiga linha de água, está-se a aplicar uma antena de 500MHz no exterior de edifício.

Os trabalhos em curso no interior do edifício incluem já nesta fase uma campanha de verificação no primeiro piso do edifício, para caraterização estrutural dos soalhos, de modo a determinar a sua espessura, composição e estrutura.

A segunda fase da campanha de GPR a realizar neste projecto incidirá sobre as paredes do edifício, numa aplicação combinada de passagens com antenas de média e de alta frequência para a inspecção estrutural detalhada das paredes, e, em particular, dos danos estruturais sofridos pelo edifício, a fim de orientar o programa subsequente de recuperação estrutural e aquitectónica.

Com efeito, este conjunto de trabalhos tem como objectivo obter uma imagem detalhada da composição e estado de conservação do edifício usando a técnica não destrutiva do georadar. Neste tipo de edifícios antigos, a utilização desta metodologia consiste numaevidente mais-valia para o desenvolvimento do projecto de reabilitação, produzindo, com técnicas não-intrusivas, informação crucial acerca:
- dos métodos e materiais de construção originais;
- das sucessivas alterações à estrutura e utilização do edifício; e
- do estado actual de conservação e pontos de fragilização do edifício.



Arquivo de Notícias